quarta-feira, 31 de maio de 2017

O FIM NÃO É O FIM

O FIM NÃO É O FIM


Sabedoria é perceber que está a vida
Na luz do dia claramente refletida;
Sendo a velhice um momento precioso,
Pois fica o céu, lá no horizonte, mais formoso.

O marinheiro cheio de felicidade,
Já vê as praias da eterna imortalidade;
As ondas já não são tão fortes, agitadas,
Bem pouco falta pra encerrar sua jornada.

E se aparenta o por do sol, certa fraqueza,
Isto não é visto, pois é forte na beleza;
E se em breve chega aqui a escuridão,

Do outro lado abre-se o real portão,
Desta cidade onde a lâmpada é o Cordeiro
A quem amamos, mas que nos amou primeiro.

Gilberto Celeti

“A cidade não precisa nem do sol, nem da lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada” (Apocalipse 21:23)

Outros poemas acesse: https://gilbertoceleti.wordpress.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário